segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

Resenha literária - A assinatura de todas as coisas e A evolução de Calpúrnia Tate





Oi! Hoje, vou compartilhar com vocês dois dos melhores livros que eu li durante 2014. Resolvi fazer um único post para os dois porque eles têm muitos pontos em comum.

Vamos lá!

Os dois livros são centrados em protagonistas do sexo feminino que têm sua trajetória de vida ligada ao estudo da natureza. Ambas compartilham também um ponto central: enlaçam seus enredos com a obra máxima de Charles Darwin, ‘A origem das espécies’.





 A assinatura de todas as coisas







‘A assinatura de todas as coisas’, narra a trajetória de Alma Whitaker. Alma herdou do pai o interesse pela botânica e, apesar do que era comum no século XIX, período no qual se passa a história, foi criada com total incentivo aos estudos e à instrução científica.

Reconhecida por sua inteligência e perspicácia, Alma sofre porque nunca foi admirada pelas características que chamavam a atenção nas mulheres, como beleza e delicadeza.

Conforme se aprofunda nos seus estudos, Alma não amplia apenas o seu conhecimento sobre a ciência, mas sobre a natureza dos homens e mulheres, o que move os seres humanos e sobre como há perguntas que as teorias jamais poderão responder.

A autora do livro é a mundialmente conhecida Elizabeth Gilbert. Gilbert é a autora do aclamado ‘Comer, rezar, amar’, que virou filme com atuação de Julia Roberts em 2010.

A foto acima é da edição que eu tenho, mas eu queria mesmo ter essa edição da foto abaixo com essa capa linda! <3



‘A Assinatura de todas as coisas’ é um livro muito superior a ‘Comer, rezar, amar’. Porém, acredito que o fato de que a autora fez fama pelo primeiro livro (que é um chick lit, meio clichê, mas que não deixa de ser bom por isso), fez com que o segundo fosse um tanto subestimado.

Colei aqui um trecho que eu adoro:
 “Acredito que a evolução explica quase tudo sobre nós, e obviamente acredito que explique tudo sobre o resto da natureza. Mas não acredito que só a evolução responda por nossa singular consciência humana. Não existe necessidade evolutiva, entende, para a aguçada sensibilidade intelectual e emocional que temos. Não existe necessidade prática para a mente que temos. Não precisamos de uma mente capaz de jogar xadrez, Srta. Whitaker. Não precisamos de uma mente capaz de inventar religiões ou de argumentar sobre nossas origens. [...] A bem da verdade, a nossa sensibilidade pode ser uma desvantagem, porque pode nos levar ao sofrimento. Então não creio que o processo de seleção natural nos deu essa mente – apesar de crer que ela nos deu esse corpo e grande parte das nossas habilidades.” 
A evolução de Calpúrnia Tate






‘A evolução de Calpúrnia Tate’ é uma obra de literatura juvenil, cuja protagonista, Calpúrnia Tate, é uma menina de onze anos. A história se passa no Texas, no final do século XIX. Como a única filha entre outros seis irmãos, Calpúrnia percebe desde cedo as diferenças na criação de meninas e meninos.

Sua curiosidade e inteligência fazem com que ela se aproxime de seu avô, um velho naturalista muito introspectivo que pouco interage com o resto da família.

Enquanto se esforça para compreender a leitura que seu avô lhe ofereceu, ‘A origem das espécies’, de Darwin, Calpúrnia luta desde cedo para que sua voz seja ouvida e torce para que uma pequena conquista científica garanta o respeito pelo seu espaço.

Ao contrário de Elizabeth Gilbert, a autora Jacqueline Kelly é uma revelação. Ela estudou e exerceu medicina e advocacia antes de decidir que queria ser escritora. Este livro é seu primeiro romance publicado.

Gostei muito dos dois livros porque eles ressaltam a capacidade científica da mulher. Sua trama central não está embasada em um relacionamento amoroso, mas no tipo de “missão” que geralmente só é representada em livros com protagonistas masculinos.

E, mais especificamente, porque eles não são só sobre ciência ou só sobre emoção, mas sobre como estes fatores interagem; sobre como até onde o que nós fazemos significa uma resposta do instinto ou da moral.

Recomendo a leitura e espero que vocês gostem tanto quanto eu!

6 comentários:

  1. Sensacionais! Como você acha esses livros diferentosos? Adorei as personagens!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É que eu vivo caçando coisas diferentes! Sim, elas são incríveis!

      Excluir
  2. eu quase comprei o da Calpúrnia ontem! Lembrei que vc tinha escrito sobre ele.
    Mas tô proibida de comprar livro até cair pela metade a quantidade na minha fila de leitura! hahahaha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, também tenho vários pra ler aqui! E já tô de olho nos próximos que vou comprar, é um vício!

      Excluir
    2. vamos "nos emprestar" a lista uma da outra depois de ler?!

      Excluir