segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

Wanderlust - Into the wild: Patagônia arrebatadora








Olá!

Eu sei que a segunda-feira é, pra muita gente, o dia mais chato da semana. Então, pra mudar um pouco esse clima, hoje o BB&B estreia uma nova série sobre a coisa mais legal do mundo: viagem!!!

Decidi chamar a série de Wanderlust (uma palavra que eu tenho visto bastante na internet ultimamente), que é um termo usado por mochileiros.

Wanderlust é uma palavra de origem alemã que “descreve um forte desejo de caminhar, de ir a qualquer lugar, em uma caminhada que possa levar ao desconhecido, a algo novo, de viajar”**.

E, por isso, eu achei que ela seria perfeita pra nomear essa seção do blog!

Pra começar com o pé direito, o querido Phelipe (nosso confeiteiro do bolo Red Velvet) vai fazer um relato incrível sobre uma viagem à Patagônia Argentina. As impressões e as dicas do Phelipe estão ótimas e eu garanto que depois de ver essas fotos, você vai querer MUITO ir à Patagônia também!

Espero que vocês gostem muito e não esqueçam de deixar suas dúvidas e curiosidades no comentários!

Beijos,

Laís


**Into the wild: Patagônia arrebatadora**



O desejo de conhecer a Patagônia era grande há um tempo, mas foi em um momento conturbado que surgiram duas semanas de férias não previstas quando decidi e organizei, em uma semana, uma viagem rumo ao lado argentino da Patagônia. A vida estava bagunçada e o barco navegava num mar de questões, o marujo precisava se desconectar de sua realidade para pensar, se ouvir. Nesse sentido a escolha do destino foi muito acertada, mas você pode esquecer tudo isso e embarcar para a Patagônia só em busca de aventura e beleza. Foram nove dias de arrebatamento com cenários inóspitos, de beleza ímpar e de muita grandiosidade. A viagem ocorreu em agosto, no inverno.

Curiosidade: o nome 'Patagônia' vem da palavra patagón usado por Fernão de Magalhães em 1520 para descrever o povo nativo que sua expedição acreditou serem gigantes. Acredita-se atualmente que os patagones seriam os tehuelches, que tinham uma altura média de 180 centímetros, em comparação com os 155 centímetros de média dos portugueses da época.[1]



A Patagônia é a região geográfica mais ao sul da nossa América, dividida entre o Chile e a Argentina. No lado argentino fica a maior extensão da Patagônia que inclui as províncias de Neuquén, Río Negro, Chubut e Santa Cruz, bem como a parte leste da Terra do Fogo. Na região predomina um clima frio e úmido, com seu famoso e cortante vento. A paisagem é composta por florestas, lagos, geleiras e montanhas. Os meus dias foram divididos entre as cidades El Calafate, El Chaltén e Ushuaia.

El Calafate

Parque Nacional de los Glaciares


El Calafate é uma cidade bem pequena. Sua principal atração é o incrível Parque Nacional Los Glaciares, declarado patrimônio da humanidade em 1981. São muitos glaciares, mas o mais famoso do Parque é o Perito Moreno, um extraordinário gigante de gelo que você não consegue enxergar seu fim. A empresa Hielo y Aventura administra alguns passeios que podem levar você para explorar o Glaciar Perito Moreno bem de perto. Eu realizei um mini trekking sobre o Glaciar e de longe foi a coisa mais impressionante que fiz.

Perito Moreno


Durante o verão a Hielo y Aventura tem um tour chamado Big Ice que permite até explorar as cavernas do Perito. No entanto, devido ao rigoroso inverno patagônico é somente possível contemplá-lo das plataformas bem cuidadas do Parque, durante boa parte da estação. Confira no site da empresa os passeios e meses em que eles são realizados antes de planejar sua viagem à Patagônia.  


O que mais impressiona é em meio ao silêncio sepulcral da região ouvir o som potente dos estalos e desprendimento das placas de gelo. Difícil não ser arrebatado pela imensidão, beleza e mistério daquela muralha de gelo. Muitos arrepios.

Em El Calafate também há a bela Laguna Nimez, que abriga um aviário natural. A partir de trilhas, com cartazes que dão informações sobre as espécies locais, você pode observar mais de oitenta tipos de aves como flamingos, patos e cisnes.

Como chegar

A companhia aérea Aerolínieas Argentinas possui alguns voos por dia para El Calafate partindo de Buenos Aires.

Onde ficar em El Calafate

Fiquei no America del Sur Hostel. O hostel está entre os mais legais que já fiquei, conta com uma ótima infraestrutura e uma vista incrível. A área comum é muito gostosa e o hostel é muito bem cuidado. Uma questão que alguns levantam é a distância do centro da cidade, onde estão os restaurantes e agências. Para mim isso não foi um problema porque a cidade é realmente bem pequena, nada é tão distante.

El Chaltén

Río de las Vueltas - El Chaltén


  

El Chaltén é outra cidade pequena da Patagônia argentina, possui cerca de 500 habitantes e é conhecida como a capital nacional do trekking. Possui muitas trilhas que levam aos mais encantadores lugares. Talvez tenha sido a cidade mais bacana por qual passei na Patagônia e lamento muito por ter dedicado a ela apenas um bate e volta de um dia. El Chaltén, apesar de pequena, tem muitas coisas para fazer (leia-se trilhas belíssimas).  Existem diversas lagunas, cerros, miradores e o famoso Fitz Roy, monte de beleza ímpar.

El Chaltén


O ideal é reservar um dia para cada trilha. Como dediquei só um dia para Chaltén, tive que optar pela trilha que me pareceu mais interessante para o tempo que eu tinha disponível, a que leva a laguna Capri. 

Trilha para Laguna Capri


A trilha é bem cansativa, são cerca de duas horas para ir e duas horas para voltar de muita subida e neve, muita neve. A beleza é tão inexplicável que você nem liga para o cansaço. No caminho você cruza e interage com viajantes do mundo inteiro.

Laguna Capri


Como chegar

Um ônibus sai diariamente da rodoviária de Calafate pela manhã e retorna no fim do dia.


Ushuaia



Conhecida pelo slogan “cidade mais austral do mundo”, Ushuaia guarda muitas atividades e frio. 

Demonstração profissional de snowboard do Phelipe!! <3


Existe o impressionante Parque Nacional da Terra do Fogo que possui algumas trilhas e o trem do fim do mundo, a navegação no Canal Beagle, os centros invernais que reúnem diversas atividades na neve, alguns museus interessantes e muitos pontos para quem pretende praticar ski ou snowboard.

Parque Nacional da Terra do Fogo


Como chegar

A companhia aérea Aerolíneas Argentinas também faz o trajeto Calafate – Ushuaia. 

Parque Nacional da Terra do Fogo


Onde ficar em Ushuaia

Fiquei no Hostel Cruz del Sur, administrado por uma mãe, Mariza, e sua filha, Ana. O hostel é muito acolhedor e não demora muito você vira parte daquela família. As duas são muito cuidadosas e gerenciam o hostel com uma atenção muito grande. Ele fica paralelo à rua dos restaurantes e agências, sua localização não poderia ser mais perfeita. 

Ushuaia


O que comer na Patagônia argentina

Todo mundo sabe que o forte da Argentina é sua carne bovina, mas na Patagônia o prato que você mais vai ouvir falar é o cordeiro. Em muitos restaurantes você consegue comer um bom cordeiro, a qualidade não vai variar tanto. Outra coisa muito consumida na região é a centolla, um caranguejo imenso, e a merluza-negra, um peixe de carne saborosa.  Experimente!

Melhor época

Imagino que a melhor época para ir seja no outono, com temperaturas mais amenas. No inverno peguei -7°C e muita neve, principalmente em Ushuaia, onde a temperatura cai drasticamente e a neve cai com mais vontade.

Dica

Esqueça todas as fotos que você já viu da Patagônia e delete o que você imagina que seja, a experiência é surpreendente, tudo é muito maior e eu passei a maior parte do tempo tão arrebatado que mal conseguia sacar a câmera para fotografar.

Invista em roupa de frio e deixe a preguiça em casa. Para qualquer informação ou curiosidade, escreva nos comentários.

Bon Voyage!



[1]Fondebrider, Jorge. Versiones de la Patagonia (em espanhol). 1ª ed. Buenos Aires: Emecé Editores S.A., 2003. Capítulo: Ámbitos y voces., 29 p. 

3 comentários:

  1. Sensacionais as fotos e as dicas pra quem quiser ir!

    Falando em mochileiros, você já viu essa história? http://g1.globo.com/fantastico/noticia/2014/12/filha-pede-ajuda-na-internet-para-homenagear-pai-que-queria-viajar.html

    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vítor, adorei a história! Obrigada por compartilhar!

      Excluir
  2. Que lindo! É uma viagem pra se pensar! Mas só vou se o Phelipe for meu professor de snowboard! XD

    ResponderExcluir